Um bate-papo com a cantora Mc Trans #IDSTYLE

sexta-feira, setembro 22, 2017 Luis Leitte 0 Comments

Fala pessoal, essa semana foi bem agitada e lotada de novidades. Uma delas foi conseguir realizar uma entrevista exclusiva com a funkeira Mc Trans, através de um papo super descontraído no whatsapp, ela respondeu via áudio 10 perguntas referente a sua carreira. 


Luis: Como surgiu a artista Mc Trans? Você teve alguma inspiração?

Mc Trans: Surgiu através de uma ideia minha em conjunto com o amigo de Fortaleza Renato Ronner, eu era cover da cantora Anitta era  "Mc Transnitta" e a minha inspiração pra virar Mc Trans foi a Britney misturado com a Nicki Minaj.

Luis: Como a música entrou na sua vida e qual o papel que ela tem no seu dia a dia?

Mc Trans: Através da cantora Britney que é o amor da minha vida e um ícone pra tudo, a música me faz feliz .

Luis: “Eu não sou obrigada a Nada” foi uma música que teve um forte impacto na sua carreira e dentro do cenário LGBTQ, como foi o processo de criação da canção e do clipe?

Mc Trans: Eu não sou obrigada a nada foi criada pela Mc Suzy junto comigo em uma balada e surgiu do nada em Caxias no Rio de Janeiro e é minha música favorita de todas as músicas que eu canto, porque eu odeio todas as minhas músicas.

Luis: “Lacração” foi uma música que teve uma grande repercussão e bateu de frente com outras cantoras drags que estavam em evidência no mesmo período de lançamento do clipe, isso te atrapalhou de alguma maneira na divulgação do single?

Mc Trans: Não, eu não me senti atrapalhada em lançar Lacração, porque eu lancei pros fãs né? E eu estava em depressão tinha acabado de me separar do meu marido e lacração foi um clipe que foi um presente da Vimmy produções o Michel me deu de presente e os meus amigos me ajudaram, foi super legal!

Luis: Hoje você revela ser uma nova Mc Trans, o que você tem a falar sobre isso?

Mc Trans: Eu revelo ser uma nova Mc trans porque eu cheguei em uma conclusão que competição não faz bem a ninguém quando é demais e eu sou uma nova mc trans porque hoje eu aprendi a me amar, eu era uma mulher casada , era uma mulher que amava os amigos e uma pessoa que ajudava todo mundo e hoje eu estou preocupada comigo e com os meus fãs, então quando eu falo que eu sou uma "nova mc trans" é por que eu estou dedicada aos meus fãs, os meus transfãs eles são tudo na minha vida.

Luis: As polêmicas recentes te ajudaram ou te atrapalharam?

Mc Trans: Me atrapalharam psicologicamente, eu pensei até em suicídio, tive que procurar apoio psicológico, foi muito ruim mas me ajudaram no meu crescimento e me mostrou que eu posso ser forte e ultrapassar qualquer coisa e que desistir não faz parte do meu dicionário.

Luis: Qual a sua importância para o cenário LGBT? No seu ponto de vista.

Mc Trans: A minha importância pro cenário LGBT eu acho que não é nenhuma, eu acho que a importância que eu tenho que ter é para mim, porque agente não tem que ser exemplo de ninguém. Eu acho que nós deveríamos ser o nosso próprio exemplo, ninguém tem que seguir os passos de ninguém.

Luis: Qual a importância dos seus fãs para a sua carreira atual?

Mc Trans:  A importância pros meus fãs hoje em dia depois de tudo que aconteceu, eu digo que é melhor ter mil fãs do que dez mil desconhecidos, os meus fãs são a minha família são os amores da minha vida, são as pessoas que eu amo.

Luis: Você já fez algum show pela região do Nordeste? Se sim, conte como foi a experiência, se não fica o convite aberto para vim arrasar nas terras nordestinas.

Mc Trans: Sim, eu já fiz show em quase todo o nordeste e sou apaixonada pelo nordeste, meu ex-marido de 9 anos é nordestino e o meu sonho é morar no nordeste. Eu acho que as pessoas do nordeste são pessoas trabalhadoras, são pessoas guerreiras, acho que migram pra outras cidades são pessoas que lutam, trabalham, conquistam e vencem e é nessa inspiração que a Mc Trans existe.

Confira abaixo o mais recente trabalho lançado pela artista: 


Confira na integra a entrevista em Áudio que foi transmitida pela Rádio baiana PAfm 104,9 .

0 comentários: