Morri Para Viver- Andressa Urach #EuLi

domingo, outubro 11, 2015 Luis Leitte 0 Comments

Siim, minha curiosidade falou mais alto e comprei o livro Morri para Viver de Andressa Urach. Fiz a leitura do livro em menos de uma semana, no livro, a ex-modelo revela detalhes cabulosos de sua ‘antiga’ vida, onde conta histórias em que segundo ela teve relações sexuais com animais, prostituição, uso de drogas e até mesmo a sua primeira relação sexual com seu irmão. 

Sinopse: As confissões surpreendentes de uma das personalidades da mídia que se tornou conhecida no Brasil por suas polêmicas.
A insana obsessão por dinheiro e sucesso, a rotina no bordel onde construiu seu nome de guerra e os bastidores da vida de Andressa Urach. Está tudo descrito em Morri para viver, livro que narra a trajetória desta, que chegou a ser considerada uma das prostitutas mais caras e cobiçadas do Brasil.
Dos casos secretos com clientes milionários e famosos, empresários, cantores, jogadores de futebol, artistas, bandidos, religiosos; passando por seu vício em cirurgias plásticas (Andressa chegou a cogitar amputar os dedos, só por que não gostava do tamanho dos pés!), o livro narra a chocante e constrangedora vida que ela levou até a inacreditável experiência de quase morte no coma e a sua busca por redenção.



Confesso que achei algumas revelações da ex-modelo pesadas demais e talvez até desnecessárias, como no caso do orgasmo que ela teve com um cachorro durante a sua infância, quando tinha de 10 para 11 anos. Sinceramente não sei qual a relevância dessa informação, já que a zoofilia é uma prática comum nos pequenos centros, principalmente no campo, em regiões bem interiorizadas  tudo bem: nojenta, vergonhosa, mas comum nesses locais.   Outro fato bem curioso é o forte uso de drogas, Andressa começou a fumar cigarro aos 11 anos de idade e aos 13 já era usuária de maconha. no livro, ela também relata o uso de diversas outras substâncias, como a cocaína e o álcool. Ao descobrir que ela usava entorpecentes, sua mãe fez com que ela fosse morar com o pai  que Andressa não conhecia até então. Urach também relata que teve três overdoses na vida. As duas primeiras foram ainda na adolescência, em festas raves. Já a última foi em 2011, um ano antes de ser a vice-campeã no concurso Miss Bumbum Brasil. Em uma festa de um famoso playboy, Andressa teria abusado de LSD, metanfetamina cristalizada e álcool, além de ter cheirado cola em uma latinha de energético.


A vida como garota de programa é uma das partes mais citadas no livro, ela relata ter cobrado até R$ 15 mil por hora para atender os mais variados tipos de endinheirados do Brasil e do mundo. Diversos empresários, artistas, apresentadores e jogadores de futebol  inclusive alguns casados teriam contratado Andressa para “momentos de prazer”. Nas suas contas, ela teria atendido mais de 1.000 homens enquanto era prostituta. O envolvimento com o jogador Cristiano Ronaldo, um dos casos de maior repercussão na vida de Andressa. Ela relata que o craque do Real Madrid contratou seus serviços enquanto ele ainda namorava a modelo Irina Shayk. Fazendo até a prática do sexo anal e diversos tipos de posições sexuais.

Lesbianismo fake: Urach relata que só perdeu o concurso de Miss Bumbum em 2012 por já ter posado anteriormente para a revista Sexy. Isso não seria interessante para o concurso, já que um dos prêmios da competição era justamente uma capa na mesma revista. Revoltada, Andressa resolveu dar o troco no concurso aniquilando a popularidade da então vencedora Carine Felizardo. Para isso, inventou um romance fake com a terceira colocada da disputa, Camila Vernaglia.


A carreira da ex-modelo é tão repleta de mentiras, que tem até relacionamento de mentira. Em 2013, Andressa Urach afirmou um relacionamento com uma então promessa do universo sertanejo: Raffael Machado. Dono do hit “Vai no cavalinho”, Machado assume que o namoro com Andressa foi de mentira. Seu empresário teria pago R$ 80 mil para Andressa assumir que estaria namorando o cantor.
Ela também relata que a prostituição a tornou adepta do sadomasoquismo. Ela passou a ter prazer através da dor  tanto recebendo quanto aplicando “castigos” em seus parceiros. A ex-modelo teria participado de diversas orgias apenas para ficar perto de pessoas famosas. A descoberta pelo prazer sado teria acontecido ao atender um famoso ator de novelas da Rede Globo, que teria inclusive deixado marcas de mordida no seu couro cabeludo.


O livro desvenda ainda toda aquela confusão envolvendo a ex-modelo no carnaval de São Paulo 2013, onde a sua fantasia teria sido roubada. Confira o trecho do livro onde Urach confessa que toda a situação acabou sendo forjada por ela com o objetivo de atrair os holofotes. “No carnaval de São Paulo de 2013, houve uma situação armada em nome da fama. Primeiro, inventei que assaltantes haviam roubado minha fantasia da escola de samba Tom Maior, agremiação pela qual desfilaria, e, por isso, surgi no Sambódromo do Anhembi com os seios completamente à mostra (...) Foi um bate-boca só. Acabamos hostilizados em meio a tanta gritaria. Tudo exibido ao vivo pela TV Globo, emissora brasileira que detém os direitos exclusivos de transmissão do carnaval. Por fim, não desfilei e passamos a madrugada registrando boletim de ocorrência por injúria e ameaça. Meu objetivo era ser famosa a qualquer preço.”


Na ânsia pela busca da beleza perfeita ela chegou a computar quase o mesmo número de cirurgias plásticas correspondente a sua idade; quase 30! No afã de obter o corpo perfeito, a ex-modelo aplicou hidrogel durante cinco anos em seu corpo com o firme propósito de engrossar as coxas.
O trecho sobre os motivos que a levaram a se prostituir também é interessante. Ela conta que tudo teve início em 2009, quando ainda trabalhava como funcionária de recursos humanos. Ela teria passado mais de uma hora ouvindo os lamentos de um desembargador do Tribunal de Justiça do Rio, de aproximadamente 65 anos, enquanto tomavam champanhe. Mesmo sem ter relação com Urach, o desembargador lhe deu um cheque de 500 reais. Ela revela que esse gesto acabou lhe animando, de certa forma, a ingressar no mundo da prostituição sempre com o objetivo de ficar famosa.



O livro é bem escrito, com detalhes, e até imagens ilustrando as fases da vida de Andressa. É um livro de fácil leitura, O livro foi escrito por Doulgas Tavolaro que é vice-diretor de jornalismo da Rede Record. Ele também é autor dos best-sellers “O Bispo e Nada A Perder”, sobre a trajetória de Edir Macedo, dono da Record e fundador da Igreja Universal. Andressa começou a frequentar essa linha evangélica desde o início do ano, após sua alta quando quase morreu por causa da aplicação de hidrogel.


0 comentários: